Número total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Eirol: a ponte da Rata e o grés vermelho

A ponte da Rata na década de 1990, altura em que estava já desactivada. À esquerda, é visível uma pequena parte do tabuleiro da nova ponte.

(Foto: Jorge Cunha)


A ponte, em finais da mesma década, sendo evidentes os sinais de ruína e de colapso eminente

(Foto: Jorge Cunha. 1998)


O rio Águeda, no local onde existia a ponte da Rata

(Foto: Jorge Cunha. Fev. 2010)


Restos de uma antiga pedreira de grés vermelho, em Eirol, junto à linha do Vale do Vouga

(Foto: Jorge Cunha. Fev. 2010)


Talude de grés vermelho, perto da estação de Eirol

(Foto: Jorge Cunha. Fev. 2010)


Túnel à saída da estação de Eirol, sendo perfeitamente visíveis os blocos de grés vermelho usados na sua construção

(Foto: Jorge Cunha. Fev. 2010)

Parede de casa antiga, em Eirol, construída com grés vermelho

(Foto: Jorge Cunha. Fev. 2010)



Notas à margem

* Em Julho de 1855, o então governador civil de Aveiro, Antero Albano da Silva Pinto, anuncia, em sessão da Junta Geral do Distrito, que o Engenheiro Director das Obras Públicas, cumprindo as deliberações da Junta tomadas em sessão ordinária do ano anterior, apresentara um relatório com os orçamentos, projectos e plantas para a construção ou reforma de várias pontes no distrito, entre elas a ponte da Rata.
Fonte: "Aveiro e Cultura. Calendário Histórico de Aveiro"
* No entanto, só em Agosto de 1864 teve início a construção da estrada entre Eixo e o local onde viria a ser construída a ponte da Rata, em Eirol. As obras de construção da ponte começaram em Maio de 1865 e ambas as obras foram dadas como concluídas em Outubro de 1866.

Fonte: "Aveiro e Cultura. Calendário Histórico de Aveiro"

* A ponte da Rata, cujas obras decorreram sob a direcção do engenheiro Silvério Augusto Pereira da Silva (que, em 1858, também fora encarregado da direcção das obras da barra de Aveiro), permitiu ligar os lugares de Eirol, na margem esquerda do rio Águeda, e de Almear, na margem direita.

Fonte: "Aveiro e Cultura. Calendário Histórico de Aveiro"

* O material utilizado na construção da ponte da Rata foi o grés vermelho de Eirol, vulgarmente conhecido como pedra de Eirol. É curioso notar que, não havendo pedra em Aveiro, toda a que era utilizada na construção vinha de fora, sendo uma das proveniências precisamente as pedreiras de Eirol. Não é de admirar, por isso, que a pedra utilizada na construção da ponte da Rata fosse essa. Durante o séc. XIX, esta pedra foi comumente utilizada, a par de outras, na região de Aveiro, quer na construção de habitações, quer em obras públicas, como as do porto de Aveiro e as do quartel de Cavalaria 10, em 1885.

Fontes: * "Aveiro e Cultura. Calendário Histórico de Aveiro"

* Manuel Ferreira Rodrigues, "A Construção Civil em Aveiro, 1860-1930. Notas para a sua Compreensão Histórica"

* O grés de Eirol é um arenito, isto é, uma rocha sedimentar constituída por areias aglutinadas por um cimento, sendo, por isso, pouco resistente. Essa é, possivelmente, a principal razão que explica a relativa efemeridade da ponte da Rata: pouco mais de 130 anos.